segunda-feira, novembro 28, 2011

Por que junto ou se pa ra do?

Ah, se eu soubesse. Já estava decidida e parava de pensar. De oscilar. De não gostar de gostar.

E já está findando o prazo que prometi pra nós.

Boa sorte. Já não sei ler nas entrelinhas.

segunda-feira, outubro 10, 2011

terça-feira, setembro 20, 2011

Alerta

Eu tou estranha. Eu tou muito feliz. Eu tou sorrindo pro computador independente de qualquer coisa. Parece que está acontecendo outra vez.


ai ai

:)

quarta-feira, agosto 24, 2011

A saudade é um prato que se come só

A pouco eu estava me sentido tão completa; tão feliz por estar viva e pronto, e só. E só. E só. De repente sou invadida por essa tomada de consciência. Apenas eu, nesse quadrado, nesse fim de mundo. Feliz ? Viva e minha mãe já não está mais aqui pra eu lhe contar as aflições que passei esse dia, as injustiças que vi. E as bobagens. E nem pra viver o orgulho que talvez tivesse de mim. Nem pra me dá merecidas broncas.

Tou tentando aprender a cozinhar, sabia? E queimei um pouco o pulso, tentando preparar pela primeira vez um espetinho de frango no forno,"prato" este que me durou uma hora e ficou meio sapecado. Mas pra mim tão gostoso, tão heróico, que me deixou feliz no fim do mundo. E que lugar não é?

Ouço pela milésima vez "London london", e na minha memória -que já nem sei se está certa- você gostava muito dessa música. E isso me faz repetí-la mais uma vez. Na versão de todos os cantores, na emoção diferenciada que cada um aplica a uma frase ou outra. "God bless, silent, pain and happiness", é um trecho tão adequado pro meu agora.


...But my eyes, go looking for flying saucers in the sky.



sábado, junho 11, 2011

Tem que fazer sentido.



o se vestir. o olhar. o sair. o sabor e o saber. o talvez e o porquê. o voltar pra mim. o despir. pra você.

...regressiva é a contagem que faço até um passado que nem me lembro mais. paro no meio. me perco no caminho. minhas memórias tão minhas se confundem. etéreas. insólitas. divertidas, até. cruéis, até.

e noves fora gina. sempre. fiz a prova.

.
.
.

eu sou um quebra-cabeça que nunca vou terminar de me montar. e ainda precisa fazer sentido?

terça-feira, junho 07, 2011

Socorro!

Socorro, estou sendo lida.

Nunca imaginei que pudesse cuspir sangue como nos filmes, sem ter tido uma briga feia com alguém. Mas, socorro, ontem um dentista supercarinhoso me arrancou os 4 sisos e não tenho feito outra coisa. A cor é bonita, mas o sabor é desagradável. E acá estou eu, linda, com a fala limitada, tomando no canudinho, e a mercê de remédios que contém corticóides (e podem me engordar) afim de camuflar as dores que ontem eu senti no osso da face. Um amigo do trabalho, que eu achava gente boa, ainda chamou isso de folga fácil.

*****

Bom, mas falando em trabalho, ainda não mencionei que finalmente, após três anos da prova, fui nomeada no concurso do TRF ( pra quem não sabe o que é : "Tribunal Regional Federal"... eu mesma não soube um dia) . O que isso significa de fato? Primeiro, que meu pai ficou feliz. Segundo e terceiro, que meu pai continua feliz. Depois, pasmem, eu também. Tive que arrumar minhas trouxas e, socorro, me mudar para uma cidade chamada Iguatu... que eu sequer sabia que existia no mapa. É, quando eu fiz o concurso eu não sabia bem o que tava fazendo; eu sabia pouca coisa da vida, além do caia na prova. Mas nessa inconseqüencia, o que conta é que estou lá, trabalhando toda satisteita na 25ª, de apartamento alugado, geladeira e cama-box compradas, sem saber cozinhar, aprendendo a dançar forró e conhecendo uma porção de gente que a cada dia me faz não me arrepender de me jogar na minha própria independência.

segunda-feira, janeiro 24, 2011

Inspiração

Inspiração. Eu acho que é disso que a gente precisa pra escrever. Ou então pensar uma besteira bem grande, o que é mais o meu caso.

(acabei de ser bruscamente interrompida e fiquei puta. ultimamente tudo tem me deixado puta. e nem me venha com essa de "mulher mal amada". nem é meu caso. tou começando a achar que não sei é amar.direito. onde tem cursinho de fazer alguém feliz?)

Ainda bem que não estou dependendo de inspiração pra escrever. Se fosse, já era. Como era besteira, continua por aqui. Ainda tá em mim aquele sentimento de estranheza. Intensa. Diante dos outros. de mim. do mundo. e eu nao uso drogas ilegais.

Hoje cumpri a fino o que planejei ontem. Deveria estar orgulhosa. Terminei a noite com dança. Deveria estar feliz. Mas na aula legal eu me senti estranha, como quem não deve existir. Não ali, com aqueles que realmente se envolvem, a lhes impor minha presença absurda no caminho. Tiveram que me tocar, dançar comigo e tive dificuldade para interagir. Tentei falar banalidades. Não combinou. Porque funciona com os outros? Depois, fiz tanta força para não me ser transmissível que meu braço doeu.

Eu sei que todos sabem pelos meus olhos. nem sei se queria esconder. talvez quisesse me esconder. de mim.

talvez seja só a chuva.