quinta-feira, maio 24, 2007

terça-feira, maio 15, 2007

Vem de dentro...

É que às vezes eu queria ser invisível pra poder observar as pessoas sem constrangê-las, ou sequer modificar-lhes a expressão devido a minha presença. E outras vezes eu queria existir mais, existir tanto, me impor sobre outros justamente pra saber que tipo de reação provoco. E contentar-me baixinho, lá dentro.

.
.
.
.
.

Nem numa gota de tempo escorre
Quando mais preciso desse choro
Mas, só por paradoxo,
Não pára de jorrar quando deve congelar
Naquele exato momento que estou de bem comigo

quinta-feira, maio 10, 2007

Historinha da Borboleta

Era uma vez uma lagartinha da floresta que vivia sonhando com o dia em que viraria borboleta. Tudo que ela queria era poder voar e ver de cima toda a beleza do mundo. Chegou o dia de ir para o casulo, e ela foi com muito prazer, pro seu momento de transformação. Passaram-se uns dias, e ela lá dentro, esperando, imaginando a linda e voadora borboleta que seria. Até que chegou a hora de sair; e ela, ansiosa, saiu. Só que ela tava tão aperreada que acabou se atrapalhando e deixando uma das asinhas presas no casulo. Quando ela tentou puxar... rasgou a asa...Ai Meu Deus!Como ficou triste a nossa borboletinha! Ela tentou até voar, mas com uma só asa era impossível. Então ela começou a rastejar, como fazia quando ainda era lagarta. Seu sonho era que tinha ido pro espaço. Mas um belo dia, um passarinho, ao ver aquela linda borboleta andando no chão, acha estranho e se aproxima. Quando ele ta bem pertinho, percebe que ela ta tão triste, tão triste, tão trisque que até chora. E pergunta: “O que houve linda borboleta, porque você chora?” “Porque minha asa ta quebrada, não consigo voar...snif” “ Ah, então é por isso que você está aí no chão?! Olhe, pois trate de se alegrar, ô linda borboleta, que eu tenho a solução pro seu caso!”. O passarinho colocou a borboleta em uma de suas asas e levou-a até a coruja, o bicho mais sábio da floresta. A coruja, depois de ouvir a história, falou pra borboletinha que ela deveria ter sido mais cuidadosa; mas que ia sim ajudá-la, porque todo mundo merece uma segunda chance. Preparou um remedinho de ervas e passou bem no local onde a asa da borboleta tinha se partido. Imediatamente, a asinha ferida se recompôs. Ela mal podia acreditar! Ia voar!!! Bom, antes de sair pelos céus, a borboletinha agradeceu ao passarinho e à coruja pelo enorme bem que eles tinham lhe feito. Depois, de olhos fechados, saltou do galho alto em que estavam e só os abriu quando sentiu que estava pairando no céu, vendo de cima toda a beleza do mundo!